Já falamos aqui no blog sobre as características dos vidros utilizados em diversas indústrias, como a náutica, a da construção civil, a de máquinas agrícolas, entre outras. Hoje vamos falar um pouco sobre o mercado de vidro no Brasil.


A história da indústria do vidro no Brasil iniciou-se com as invasões holandesas (1624/35), em Olinda e Recife (PE), onde a primeira oficina de vidro foi montada por quatro artesões que acompanharam o príncipe Maurício de Nassau. A oficina fabricava vidros para janelas, copos e frascos.

A evolução desse comércio no Brasil foi espantosa. Em pouco tempo de indústria vidreira, o Brasil alcançou posição de destaque na produção e desenvolvimento industrial. Pode-se dizer, considerando a história do vidro de aproximadamente seis mil anos, que num piscar de olhos o país saiu da pré-história para a vanguarda da indústria de vidro. Poucas décadas foram suficientes para que, o país evoluísse de procedimentos antigos e ineficientes para tecnologia de ponta de produção e o melhor processamento do vidro. Nesse período, conquistamos a auto-suficiência industrial e nos desprendemos das importações.

O padrão que o setor apresenta é de primeiro mundo, estando, dessa forma, preparado para a competição internacional. A indústria vidreira brasileira fabrica atualmente, produtos comercializados na Europa e Estados Unidos, e exporta cerca de 100 mil toneladas de vidro para essas regiões.

A chave para manter esse nível de crescimento está em aprimoramento da mão-de-obra especializada, programas de divulgação de normas técnicas, programas de reciclagem de vidros, a ética nas relações entre empresas, nas relações das empresas e seus clientes e o diálogo com as comunidades onde atuam.