Apesar de não haver um manual de instruções rigoroso com o passo a passo da produção e medida exata das matérias primas usadas, o vidro multilaminado,  blindado ou antivandalismo é um dos mais controlados do mercado.

E não poderia ser diferente, pois, um vidro que se propõe a oferecer doses extras de resistência e segurança para proteger a integridade das pessoas tem o dever de provar sua qualidade e eficiência.

Embora tanto o blindado como o antivandalismo sejam multilaminados, a composição, aplicação ideal e níveis de proteção se diferem entre si. Os blindados são escudos transparentes resistentes à penetração de projéteis provenientes de armas de fogo, aplicados em automóveis, veículos de transporte de valores, guaritas e residências.  Já os antivandalismo são projetados para frustrar ataques rápidos, utilizando pedras e armas brancas como faca, marreta, martelo e pé-de-cabra.

Composto por duas ou mais lâminas de vidro intercaladas com polivinil butiral (PVB) ou resina, o conjunto deve ser encaixilhado na instalação e pode ser feito com espessuras de até 60 mm, tudo vai depender do nível de proteção que o cliente deseja. Quando utilizado o vidro temperado para laminar, por exemplo, a resistência fica cinco vezes maior.

Nesse caso, pode-se aplicar até dois filmes de PVB juntos para propiciar maior elasticidade e evitar a penetração. Como o temperado possui pequenas ondulações, quase imperceptíveis, é compensado com o uso de várias películas.

O vidro antivandalismo normalmente é aplicado em: vitrines de lojas de luxo, jaulas envidraçadas para animais selvagens, cadeias, casas de câmbio, lojas de antiguidade, casas de armas, relojoaria, joalheria e hospital psiquiátrico.
Fonte: Abravidro